Aguarde...

Benvindos Benvindos Benvindos Siga-nos Siga-nos Siga-nos

História - Nossa Senhora da Vila

A Freguesia da Nossa Senhora da Vila, uma das duas freguesias urbanas, tem a sua sede no velhinho edifício da primeira metade do Séc. XVIII, onde outrora funcionou a Almotaçaria e mais tarde o Açougue do Peixe, na Praça Velha hoje Praça Cândido dos Reis. Hoje desenvolve a sua acção na zona urbana, propriamente dita, que inclui o Castelo, o Centro de Saúde, o Abrigo dos Velhos Trabalhadores, os Equipamentos Sociais da Santa Casa da Misericórdia, o Centro Cultural do Convento de São Domingos, as Piscinas Públicas, o Parque de Mercados e Feiras e a Apormor e outras importantes Instituições de natureza cultural, económica, social, desportiva e recreativa.

A Freguesia ocupa ainda uma vasta área rural, onde se situam as localidades de Reguengo / S.Mateus, Maia, Paião, Pintada, S.ta Sofia, e Adua, onde predomina a produção Agro-Pecuária, de onde sai a já famoso “Borrego de Montemor” e uma boa parte da “Vitela do Montado”, onde se produz Vinho de referência do concelho e da região na Adega da Quinta de S. Jorge, o excelente Azeite de Montemor-o-Novo produzido no moderno lagar da Cooperativa Caminhos do Futuro, Cooperativa esta também uma referência uma referência no concelho no fornecimento dos mais diversos produtos para a agricultura.

O empreendimento Hidroagrícola da Barragem dos Minutos, representou o maior investimento jamais realizado na Freguesia e no concelho, ultrapassando no conjunto com a rede de rega e caminhos os 29,5 milhões de Euros.
A necessidade urgente de garantir o Abastecimento Público de água á cidade de Montemor-o-Novo a partir dos Minutos, continua a ser uma prioridade absoluta que o presente ano de seca está a colocar ainda mais em evidência.

Na totalidade ocupa uma área de 186,73 Km2 com uma população de 5.629 habitantes (censos de 2001), a que corresponde uma densidade populacional de cerca de 30 habitantes por Km2, mas com uma distribuição etária bastante heterogénea com a população das localidades rurais muito mais envelhecida em relação aos habitantes da sede de Concelho e 4676 eleitores (Stape/Maio/2005) . Quando falamos da Freguesia de Nossa Senhora da Vila é bom sublinhar também as duas realidades distintas, a zona urbana da sede do concelho, com uma pequena área mas onde residem a maioria da população (84% dos eleitores, Stape/Maio/2005), e a zona rural, com uma extensa área, com vários aglomerados populacionais mas com muito pouca população (16% dos eleitores, Stape/Maio/2005).
Pelo que o tipo de comércio aqui praticado é bastante diversificado. No meio rural ainda se pratica na maioria dos casos o comércio tradicional, na cidade o comércio tradicional tem vindo a ceder espaço ás médias e grandes superfícies comerciais
 
A nível de serviços, nota-se na cidade uma maior oferta na qualidade e diversidade disponibilizada á população, geralmente guiados pela relação procura – oferta, o que permite que as assimetrias entre as pequenas e médias cidades tendam cada vez mais a esbaterem-se.

As freguesias urbanas têm algumas características diferentes das rurais, confundindo-se algumas vezes o que são atribuições da Câmara Municipal e o que é a responsabilidade da freguesia, em termos de gestão autárquica.

A freguesia é o primeiro patamar a nível autárquico, onde a proximidade cidadão/autarquia é mais genuína, que tem o máximo da sua expressão junto das populações rurais, na resolução dos seus mais elementares problemas do dia a dia.
A raiz histórica das Freguesias está directamente ligada à paróquia, a congregação de fregueses, ou membros da igreja paroquial, daí a sua designação estar ligada á paróquia. Neste caso a Freguesia de Nossa Senhora da Vila tem como origem a paróquia de Santa Maria da Vila da praça ou dos Açougues.
Os habitantes da freguesia relacionam-se mais em termos de vizinhança e proximidade nas localidades rurais que propriamente na malha urbana da sede de Concelho.



Compartilhar titulo produto